Obstrução arterial dos membros

As artérias são responsáveis por distribuir o sangue oxigenado que sai do coração. A doença arterial obstrutiva periférica consiste no estreitamento ou obstrução das artérias devido a deposição de placas de gordura (aterosclerose) no seu interior. Com isso, ocorre um prejuízo na chegada do sangue levando a lesões e morte dos tecidos. Mais comum nos membros inferiores.

Fatores de risco

 

  • Tabagismo
  • Hipertensão arterial
  • Diabetes mellitus
  • Dislipidemia (aumento de colesterol de triglicérides)
  • Obesidade
  • Sedentarismo
  • Idade acima de 50 anos
  • História familiar

Sintomas

Por ser uma doença crônica, em que a obstrução vai ocorrendo lentamente e o organismo vai se adaptando, muitas vezes é assintomática.

O sintoma inicial é a claudicação intermitente, que é a dor intensa na perna ao caminhar e que melhora com o repouso. É mais comum nas panturrilhas, mas pode acometer coxa e glúteos de acordo com o local da obstrução. A dor é explicada pela falta de sangue na musculatura durante o exercício.

Outros sintomas são frialdade nos pés, dor em queimação ao elevar os membros em repouso e palidez cutânea. Nos casos mais avançados pode ocorrer dor de repouso (que não cessa) e feridas com necrose e gangrena, com risco de perda do membro.

Lembrando que a aterosclerose é uma doença sistêmica, podendo acometer o coração, causando infarto; as carótidas, causando AVC; artérias renais, causando hipertensão arterial.

 

Diagnóstico

Feito através da história do paciente e exame físico e do ultrassom vascular. Quando indicado, podem ser feitos angiotomografia, angiorressonância ou arteriografia.

 

Tratamento

Inicialmente é sempre feito o tratamento clínico com controle dos fatores de risco e mudança do estilo de vida. A atividade física (caminhada) é essencial para o desenvolvimento de novos vasos sanguíneos fora da área obstruída. O uso de medicações para controle das doenças e melhora da circulação também é utilizado.

Nos casos mais avançados, em que é indicado o tratamento cirúrgico, este pode ser feito por via aberta ou por via endovascular através de punções nas virilhas ou braços. O tratamento é sempre individualizado de acordo com as condições do paciente, a localização e tipo da lesão.

Dra. Ana Flávia Rosa – Cirurgiã Vascular e Angiologista em Uberlândia

Rua Santos Dumont, 230
34 3235-3754 / 34 9 9996-6782

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart